domingo, janeiro 20, 2013

Para Quando?

 
Onde estão as árvores que plantei, as flores que reguei e os pássaros que sorriam todas as manhãs?
Destruíram florestas e exterminaram vidas de tantas espécies irracionais e racionais, para por fim construir selvas de pedras. Eu quero verde no mais infinito em que eu possa enxergar.
Quero meu urso polar em seu habitat. Rios com peixes de verdade, nada de mutantes transgênicos com cara de bonzinhos, hein USA.
Quero ver minha Amazônia curtir a melodia do cantar das aves, chega de barulhos ensurdecedores de moto-serras.
Quero aprender a falar tupi-guarani, tem algum professor índio por ai?
Carcará voe e cante as boas novas de um sertão florescente, sob um luar tão belo quanto poético, as margens da transposição tão esperada.
Que todas essas vontade e sonhos não sejam passageiros e modísticos.
Precisamos de soluções para ontem, para hoje e para o futuro.

Nenhum comentário: